23 de Janeiro de 2019


Início do conteúdo

Início do conteúdo Brasão e Bandeira

Brasão de Armas e Bandeira de Rondonópolis


O Brasão de Armas de Rondonópolis é de autoria do professor Arcionoe Antônio Peixoto de Faria, que também criou a Bandeira do Município. Esses símbolos municipais foram regulamentados pela lei municipal 426, de 13 de maio de 1975;

  • A coroa mural que o sobrepõe é o símbolo universal dos brasões de domínio que, sendo de argente (preta) de oito torres, das quais apenas cinco são visíveis em perspectiva no desenho, classifica a cidade representada na SEGUNDA GRANDEZA, ou seja, sede da Comarca. A luminura de vermelho pelo significado horáldico da cor se identifica com os predicados próprios dos dirigentes da comunidade;
  • A cor azul de campo do escudo é símbolo da justiça, nobreza, perseverança, zelo e lealdade;
  • Firmado na parte superior do escudo, o medalhão de prata com a efígie de carnação MARECHAL RONDON, pereniza no Brasão a homenagem prestada ao "grande sertanista", no próprio topônimo que a cidade ostenta - RONDONÓPOLIS;
  • A cor prata é símbolo de paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza, religiosidade;
  • Ladeando o medalhão, as cabeças de boi lembram o Brasão a pecuária, principal atividade econômica do Município (na época da criação do símbolo);
  • Na parte inferior do escudo a faixa ondada de vermelho que corta o terrado em prata, representa no Brasão o Rio Vermelho e os peixes nadantes e sua psicosidade que se constitui em atração turística aos aficionados do esporte da pesca;
  • O ouro é símbolo da glória, esplendor, grandeza, riqueza e soberania;
  • Nos ornamentos exteriores, o algodão e arroz representados lembram os principais produtos oriundos da terra dadivosa e fértil.

O Escudo samnítico usado para representar o Brasão de Armas de Rondonópolis, foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal por influência francesa, herdado pela heráldica brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora da nossa nacionalidade;